Pular para o conteúdo principal

O que é torrent?

O que é torrent
Imagem: Pexels.

O serviço de Torrent (ou bitTorrent) é um dos mais conhecidos e populares da internet. No ar desde meados de 2001, o protocolo permite o compartilhamento de arquivos sem que o mesmo necessite estar hospedado em um servidor.

O projeto foi criado com o intuito legítimo de facilitar o partilhamento de arquivos, livrando alguns serviços do custo de manutenção de servidores convencionais. No entanto, desde sua gênese o serviço tem sido associado à pirataria e violação de direitos autorais. Veremos mais a fundo os motivos de tal alegação, mas sem antes analisarmos o funcionamento do protocolo.

O que é, de fato, o bitTorrent?

O bitTorrent é uma ferramenta que possibilita o compartilhamento de arquivos entre usuários. O seu grande diferencial se deve ao fato de que os próprios usuários atuam como servidores, ou seja, quando você baixa um arquivo por meio desse protocolo, instantaneamente você passa a ser um portador desse arquivo e possibilita com que outros usuários baixem o mesmo por meio de você. Neste caso, você se torna um seeder (semeador). Cabe lembrar que .torrent é a extensão do arquivo que contém as informações de download.

O funcionamento do bitTorrent

A mágica começa quando um usuário decide enviar um arquivo para a rede (daí ele se torna um seeder). Quando isso ocorre, essa pessoa é a única que detém todos os dados desse arquivo, portanto, a primeira pessoa que decidir baixar esse arquivo (peer) o fará com a ajuda desse seeder. Quando esse primeiro cliente terminar o seu download, ele próprio passará a atuar também como um seeder, facilitando com que outras pessoas possam baixar o mesmo arquivo. Essa lógica se repete sempre que mais alguém decide baixar o referido arquivo.
Funcionamento de uma rede peer-to-peer
Funcionamento de uma rede peer-to-peer.

Há outros detalhes importantes no funcionamento do protocolo. O primeiro é que o arquivo é "repartido" em pequenos pedaços que geralmente tem 256Kb. Quando o mesmo arquivo possui vários seeders, esses pedaços podem ser encontrados em cada um deles. Quando alguém inicia o download desse arquivo, o cliente bitTorrent irá baixar parte por parte desse arquivo e no final irá montar tudo novamente. Quanto mais seeders um arquivo possuir, melhor será a velocidade de transferência e a eficiência do processo.

Diferentemente de alguns serviços semelhantes que permitem a busca por arquivos dentro de sua própria plataforma, o bitTorrent atua de outra maneira. Para ter acesso às informações de download e iniciar a transferência de algum arquivo por meio desse protocolo, o usuário precisará do arquivo .torrent ou de um magnet link que deverá ser fornecido pela pessoa que pôs o arquivo na rede primeiramente.

As vantagens do protocolo

Além de ser gratuito, o serviço possui uma base de usuários muito larga e em escala global, com isso, você pode encontrar um universo de possibilidades dentro da plataforma. Além disso, os arquivos transferidos pelo serviço podem ser pausados e reiniciados, o que facilita o download de arquivos pesados, sem contar que a velocidade de transferência é bem alta para ficheiros que contém muitos semeadores.

Como baixar arquivos via bitTorrent

O cliente mais comum para esse tipo de serviço é o uTorrent, que possui suporte para Windows, Linux e Android (baixe aqui). Há também os clientes bitTorrent e bitComet. Para a plataforma Android também há o Vuze.

A realidade do serviço

Como já dissemos na introdução, desde seu início o bitTorrent passou a atuar como ferramenta de compartilhamento de arquivos ilegais. A realidade atual não é muito diferente. O serviço é disparado o meio mais comum para partilhar filmes, músicas, jogos crackeados e outros arquivos que violam os direitos de autor.

A plataforma mais famosa de distribuição de arquivos torrent é a ThePirateBay, que já passou por altos e baixos com empresas e legislações, mas que contínua ativa e com uma gigantesca base de dados de magnet links e arquivos .torrent.

ThePirateBay logo
O ThePirateBay ainda está online.

É seguro?

Sim, mas há poréns. Antes de tudo, o protocolo é confiável, mas o que vai tornar o processo como um todo seguro ou não depende muito do arquivo que você vai baixar. Se por algum acaso você transferir um arquivo infectado para o seu computador, o culpado será obviamente a pessoa que pôs o referido arquivo na rede (a não ser que você esteja procurando por programas ilegais). Nesse caso o bitTorrent pouco pode fazer, ele apenas possibilitou a transferência, que é o seu papel.

Na grande maioria dos casos os arquivos infectados com malwares são aqueles que violam direitos autorais, pelo simples fato dos mesmos serem bastante procurados, o que chama a atenção de pessoas mal intencionadas.

O bitTorrent e a ilegalidade

Há uma coisa importante a ser lembrada. O serviço bitTorrent NÃO é ilegal. O motivo do protocolo ser associado a atividades ilegais se deve ao fato de pessoas se utilizarem da ferramenta para cometer delitos. Há muitos arquivos que são disponibilizados na rede e que não ferem direitos de propriedade.

Cabe lembrar que, quando você baixa algum arquivo que claramente viola os direitos de autor (independente de ser via bitTorrent ou não), você comete uma infração segundo a legislação brasileira acerca dos direitos de propriedade (leia mais).

Conclusão

O protocolo bitTorrent representou um avanço muito interessante na forma como nós baixamos arquivos pela internet. No mais, como todo serviço em atividade online pode ser usado da forma errada, o protocolo também tem seu lado obscuro. De qualquer forma, tudo pode ser superado quando deixamos de procurar e consumir conteúdos ilegais que provêm dessa natureza.